OFICINA SOBRE ‘PLANOS DE APOIO À PROTEÇÃO DAS RPPNs’ SOMA 50 PLANOS DE RESERVAS PAULISTAS

Setembro/2016

OFICINA SOBRE ‘PLANOS DE APOIO À PROTEÇÃO DAS RPPNs’

SOMA 50 PLANOS DE RESERVAS PAULISTAS 

 

Aconteceu no dia 23 de setembro de 2016, na 4ª Cia. da Policia Ambiental, em Campinas/SP, mais um encontro que apoia as Reservas Particulares do Patrimônio Natural – RPPNs paulistas, a “Oficina para Elaboração e/ou Avaliação dos Planos de Apoio à Proteção das RPPN – Sistema Integrado de Monitoramento de Unidade de Conservação”, realizado pela Federação das Reservas Ecológicas Particulares do Estado de São Paulo (FREPESP), Fundação Florestal (FF), Coordenadoria de Fiscalização Ambiental (CFA) e a Polícia Ambiental (PAmb).

Após um gostoso café de boas-vindas, a CFA representada por Marta, a FF representada por Oswaldo Bruno e a FREPESP representada por seu presidente, Toni Carioba, fizeram a abertura do encontro sublinhando a mensagem de que o trabalho em conjunto destes órgãos e participação dos proprietários de RPPN no processo que visa a proteção/integridade das áreas vem acumulando avanços em prol da conservação em terras privadas.

Contou também com a presença do Major João Soares que apoia e aprecia a ideia da proteção da RPPN em conjunto, pois, o Estado não consegue manter todas as Unidades de Conservação.

DEVOLUTIVA QUESTIONÁRIO SOBRE ‘Planos de Apoio à Proteção das RPPNs’

Com a presença de toda a equipe do “Programa RPPN Paulistas” (Fundação Florestal/ Secretaria de Estado do Meio Ambiente), de Comandantes da Polícia Ambiental de várias regiões do Estado, da equipe da FREPESP, dos RPPNistas e proprietários de reserva ecológica em processo de criação – o dia de trabalho começou com a apresentação dos dados e informações referente ao levantamento feito junto aos RPPNistas em relação as questões de apoio e proteção das reservas.

Esse levantamento – experiências e iniciativas de proteção das RPPNs, realizado pela CFA, FF e FREPESP, mesmo ainda não tendo sido na totalidade das RPPNs, direcionará de forma mais objetiva os planos das RPPNs – principalmente das que estiveram presentes nesta oficina, bem como as ações prioritárias para o desenvolvimento e melhoria do Programa. Beatriz Truffi, da CFA, fez um preâmbulo do momento, lembrou do PL 1548/2015, da parceria entre a FREPESP e a FF – SMA-SP, e as melhorias presentes e futuras que se desenham a partir do levantamento realizado.

Vale o registro em relação à ênfase sobre a questão da inclusão das RPPNs no Programa Operação Corta Fogo, no âmbito do Sistema Integrado de Monitoramento de Unidades de Conservação – SIM-RPPN. Este passo avança na comunicação das RPPNs com os pólos de operação corta fogo no Estado; na integração das RPPNs com as demais Unidades de Conservação (UCs), proporcionando aproximação e trocas entre as reservas ecológicas particulares e gestores de UCs – o que fortalece o trabalho e a troca entre as RPPNs e a questão da construção coletiva no que diz respeito à conservação da biodiversidade.

RODA DE CONVERSA

Em seguida, dinâmica e produtiva com as trocas e as experiências dos atores participantes, houve a roda de conversa que levantou resultados e questões como: situações identificadas, iniciativas, percepção da atuação da PAmb, relacionamento entre RPPNistas e PAmb, devolutiva da oficina realizada no âmbito da Operação Corta Fogo, ameaças e a questão de segurança dos proprietários e da reserva foram as principais questões conversadas.

Ilustrações de experiências em geral e práticas corriqueiras pontuaram encaminhamentos que trouxeram clareza aos participantes na busca de resultados caso a caso.  A roda de conversa traz ainda a percepção da necessidade do trabalho e de ações de educação ambiental e comunicação já que procedimentos comuns para a conservação e proteção das unidades de conservação e, também, de prevenção necessitam de conscientização e de colaboração da comunidade do entorno – o que certamente reflete sem questões de segurança e qualidade de vida de todos.

A parte da manhã reforçou ainda importantes informações da Polícia Ambiental, representada pelo Major João Soares, em relação ao esclarecimento sobre o fluxo de informações entre a PAmb e RPPNistas, bem como a apresentação, pela CFA, quanto aos objetivos da Resolução SMA 80/2015 e o monitoramento por satélites – o MAIS – Monitoramento Ambiental por Imagens de Satélites.

GRUPOS DE TRABALHO

Após o delicioso almoço preparado pela 4ª Cia. da Policia Ambiental, na parte da tarde foi a vez dos grupos de trabalho formados pelos agentes de fiscalização e proprietários e representantes das reservas privadas. O intuito foi rever e dar continuidade aos planos já elaborados, bem como a elaboração de novos planos.

Com a revalidação do material elaborado a partir dos ajustes necessários, o objetivo foi cumprido! Uma nova etapa é aberta marcando o estreitamento dos órgãos públicos ambientais com as situações que envolvem as necessidades e desafios em geral para a proteção das RPPNs paulistas.

BALANÇO DO DIA DE TRABALHO

O presidente do conselho da FREPESP, Toni Carioba, e também, proprietário da RPPN Reserva Ecológica Amadeu Botelho – Jaú/SP, faz um balanço das atividades do dia: “União de força e conhecimento”. Ele expõe sobre a importância de ampliar o conhecimento em relação às RPPNs ao mesmo tempo que há um fortalecimento junto aos órgãos ambientais – assim como o fortalecimento do movimento em conservação em terras privadas –  unindo força ao envolver novos RPPNistas e conhecimento tanto por parte do proprietário como estreitamento da realidade das RPPNs junto aos órgãos públicos ambientais.

Como RPPNista e em relação ao SIM-RPPN na RPPN Reserva Ecológica Amadeu Botelho, Carioba exclama: Positivo! Só veio a agregar! Diz sobre o respeito adquirido na região, da contribuição das oficinas em que participou, e que com isso, montou uma brigada de incêndio na RPPN, com capacitação dos membros desse grupo – preparação e formação!

Já para o proprietário da RPPN Fazenda Catadupa – São José do Barreiro/SP, Lauro Cavalcanti, a iniciativa da parceria entre FREPESP e FF/ SMA-SP beneficiou principalmente os municípios menores encurtando a distância da base operacional da polícia e RPPNs. Isso, devido a ênfase desta nova comunicação que estreita a relação entre a PAmb e as reservas. E, conclui que o resultado da oficina dá início ao seu plano de ação com o agendamento da primeira visita de reconhecimento à RPPN e seu entorno. “Sinto me assistido no quesito segurança ao RPPNista e proteção à área”.

50 PLANOS DE APOIO À PROTEÇÃO DAS RPPNs PAULISTAS

Com a presença de 15 proprietários, o resultado foi a elaboração de 8 novos planos de apoio à proteção das RPPNs, sendo que 07 deles foram para reservas em processo de criação e 01 para RPPN. E, os 07 demais RPPNistas tiveram seus planos revisados.

Com esta oficina somam-se 50 planos de apoio à proteção em 50 RPPNs paulistas!

AGRADECIMENTOS

Nossos agradecimentos vão para a 4ª Cia. da Policia Ambiental, representada pelo Capitão Hirano, ao Major João Soares e aos nossos parceiros da SMA-SP – a Fundação Florestal, a Coordenadoria de Fiscalização Ambiental, e a presença do Gustavo F. Cardoso, representando a diretoria da Fundação Florestal. Agradecemos também aos RPPNistas presentes e aos proprietários de reserva em processo de reconhecimento. E, sem deixar de citar a RPPN Duas Cachoeiras – Amparo/SP que recebeu a FREPESP para uma visita e pequeno ‘tour’ em suas dependências.

Parabéns pela participação e comprometimento de todos!

Por fim, agradecemos aos nossos apoiadores financeiros, o Fundo Socioambiental CASA e o WWF-Brasil.

***Para conferir as fotos do encontro, acesse a página do Facebook da FREPESP.

 

___________________________________

FREPESP

Ana Celina Tiburcio
Comunicação para Sustentabilidade

 

Comments are closed.