BRASIL VAI INVESTIR EM UM PROGRAMA DE TURISMO SUSTENTÁVEL EM RPPN

Junho/ 2015

 

BRASIL VAI INVESTIR EM UM PROGRAMA DE TURISMO SUSTENTÁVEL EM RPPNs

 

 

A Confederação Nacional dos Proprietários de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (CNRPPN) realizará um programa de desenvolvimento de turismo sustentável para as 1.260 RPPNs do Brasil que preservam cerca de 780.000 hectares. A Convenção sobre a Diversidade Biológica (CDB) da ONU reitera que o turismo tem uma forte contribuição econômica para a conservação de áreas e da biodiversidade e a Organização Mundial do Turismo (OMT) informa que o ecoturismo é o segmento turístico que tem apresentado maior crescimento nos últimos 10 anos em todo o mundo.

O programa, denominado ProEcotur-RPPNs, foi fundamentado em uma pesquisa realizada em março de 2015 com 81 proprietários de RPPNs, terá três anos de duração e prevê investimentos e ações em três grandes eixos: Sensibilização, Capacitação e Comercialização. Os recursos para viabilizar o programa serão captados no Brasil e no exterior nos próximos meses em parceria com a Ruschel & Associados Negócios e Sustentabilidade (R&A), empresa de consultoria especializada em sustentabilidade e turismo sustentável.

A pesquisa identificou que 81,5% dos proprietários acreditam que sua RPPNs tem potencial para turismo e tem interesse na atividade, sendo que 23,5% deles já trabalham com turismo receptivo. A pesquisa demonstrou também que é grande o interesse dos proprietários em querer saber mais sobre turismo, com destaque para a participação em eventos onde possam conhecer modelos de negócios do Brasil ou do exterior (63%), ouvir depoimentos reais (54%) e aprender sobre marketing, promoção e vendas (53,1%). Quase metade dos entrevistados (45,7%) demonstrou interesse de participar de um portal conjunto de ofertas de turismo em suas RPPNs. A pesquisa pode ser acessada em: https://goo.gl/HA4fxi

O Programa de Desenvolvimento de Turismo Sustentável em RPPNs do Brasil – ProEcotur-RPPNs prevê a realização de uma série de eventos regionais com programação baseada nos temas pesquisados; a distribuição de guias, cartilhas e documentos informativos; a capacitação de gestores, de técnicos especializados e de profissionais em serviços de turismo com cursos presenciais e à distância; e ao fim do ciclo, a montagem de um portal na internet para promover a oferta do turismo sustentável em RPPNs brasileiras, em convênio com portais da Europa. O programa está sendo coordenado por Flávio Ojidos que pode ser contatado pelo email flavio@ojidos.com.br ou pelo telefone (011) 972-375-851.

Ecoturismo preservando ecosssistemas

Laercio Machado de Sousa, Presidente da CNRPPN, proprietário das RPPNs Neivo Pires I e II, e diretor da empresa de turismo LTN BRASIL – L’alianXa Travel Network Brasil, sediada em Campo Grande – MS, lembra que o turismo sustentável certamente contribuirá para valorizar o papel da RPPNs no Sistema de Unidades de Conservação do pais. “Nas 1.260 RPPNs brasileiras encontramos atrativos para o desenvolvimento de turismo sustentável com muitos enfoques e muitas variações de flora, fauna e geografia, porque temos unidades em todos os biomas brasileiros e mais agilidade operacional se comparado aos Parques Nacionais. A oferta de programas de turismo sustentável certamente vai contribuir economicamente para a gestão dessas unidades e, com isso, reforçar seu papel ambiental, cultural e socioeconômico”.

Flávio Ojidos, Vice Presidente e Diretor de Ecoturismo da CNRPPN e advogado especialista em Direito Ambiental e conservação voluntária em terras privadas, lembra que em uma RPPN podem ser desenvolvidas atividades de educação ambiental, pesquisa científica e ecoturismo. “Neste programa consideramos Turismo Sustentável aquelas atividades com as vertentes de turismo ecológico, rural, educacional, científico e de observação do ambiente natural. Precisamos atuar com vistas a viabilizar a conservação dessas áreas e o turismo sustentável certamente é uma grande oportunidade para um país como o Brasil.”

Rogerio Raupp Ruschel, presidente da R&A e consultor especializado em negócios sustentáveis, relembra que um programa similar a este ajudou a organizar e alavancar o ecoturismo no Brasil. “Em 1994, em parceria com o WWF Brasil, realizamos uma pesquisa sobre o perfil dos empreendedores de ecoturismo e a partir daquela pesquisa foi definida uma agenda nacional para a atividade, reralizado o primeiro grande evento de ecoturismo do Brasil – a Bienal de Ecoturismo de Canela – e geradas uma série de iniciativas que nos anos seguintes fizeram o setor deslanchar”. Ruschel entende que “o momento está maduro para realizar algo similar com as RPPNs agora, e a CNRPPN é a organização mais adequada para isso”.

Sobre a Confederação Nacional dos Proprietários de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (CNRPPN)

A Confederação Nacional de RPPN (CNRPPN) é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, atualmente formada por 16 associações estaduais ou regionais de proprietários de RPPNs, representada em todos os biomas brasileiros. A CNRPPN tem por missão contribuir para a conservação da biodiversidade brasileira por meio do fortalecimento das associações de proprietários de RPPN. Ela foi fundada em 2001 e tem focado o seu trabalho no apoio às associações, na divulgação do instituto RPPN, na valorização da categoria e no apoio à criação, gestão e manejo das RPPNs, bem como na busca pela promoção do desenvolvimento sustentável. Em 1997, surgiu a primeira Associação de Proprietários de RPPN, no Rio de Janeiro (APN), seguida pelo Paraná em 1998, chegando atualmente a 16 associações estaduais e regionais distribuídas por todo o país.

Sobre Ruschel & Associados Negócios e Sustentabilidade (R&A)

A Ruschel & Associados é a empresa pioneira de consultoria em marketing e comunicação para desenvolvimento sustentável e turismo sustentável no BrasilEm 24 anos prestou consultoria para os governos do Ceará e Tocantins, SEBRAESP e SENAR-SP e fez estudos de viabilidade econômica de projetos de ecoturismo em São Paulo, Santa Catarina, Paraná e na Itália. A R&A realizou duas edições da FIECOTUR – Feira e Seminário de Ecoturismo e Turismo Sustentável, no Expo Center Norte, em São Paulo-SP, em 2003 e 2004 e foi representante no Brasil por 3 anos do CEFAT – Centro Europeo de Formación Ambiental y Turística. Rogerio Ruschel foi co-criador, professor e coordenador do primeiro curso de pósgradução em Turismo e Meio Ambiente no Brasil no SENAC-SP, em 1997 e Diretor e Presidente do Conselho Consultivo do IEB – Instituto de Ecoturismo do Brasil.

Comments are closed.